Notícias

Ralos da rentabilidade - FIQUE ALERTA!


Enviado em 22 de Dezembro, 2017

O Setcemg divulga novo artigo sobre a nova política de reajuste do diesel praticada pela Petrobras desde julho deste ano. Neste artigo, o Sindicato destaca que ainda é preciso ter cuidado com os custos e o acompanhamento precisa ser criterioso e constante. Confira!

 

logo

 

RALOS DA RENTABILIDADE  -  FIQUE ALERTA!

 

Todo cuidado com os custos ainda é pouco! O acompanhamento criterioso e constante é necessário, mas existem os custos desnecessários – “ocultos” e assumidos de modo inexplicável – que são os verdadeiros ralos da rentabilidade. 

Exemplos de alguns custos que o transportador costuma assumir por benevolência e sem nenhum retorno:

  • Carga e descarga: o prazo máximo é de cinco horas, contadas da chegada do veículo ao endereço de destino. Após este prazo, o embarcador pagará ao transportador uma taxa por tonelada/hora ou fração, incluindo as cinco horas iniciais, estabelecida pelas Leis nº 11.442/07 e 13.103/15 ou em contrato de transporte;         
              
  • Pedágio: é uma obrigação do embarcador estabelecida pela Lei nº 10.209/01 e pela Resolução ANTT nº 2.885/08. A lei deixa claro que o pedágio não pode ser incluído no frete e, sim, discriminado à parte;

  • Excesso de peso: prejudica a infraestrutura viária, a segurança do veículo e aumenta o custo de manutenção. A receita de frete maior não compensa o risco nem o aumento de custo. Se o excesso de peso for provocado por informação incorreta do embarcador, a multa será da responsabilidade dele;

  • Gerenciamento de riscos: por falta de segurança pública nas cidades e nas rodovias, as empresas foram obrigadas a assumir elevados custos – superiores a 10% do faturamento - para minimizar o risco e os prejuízos com o roubo de cargas. O ressarcimento de parte destes custos se dá pela cobrança das taxas de “GRIS” e da “EMEX”, esta, para as regiões de elevado risco e/ou beligerância;

  • Lei nº 13.103/15: a aplicação desta lei reduz a produtividade do veículo, em média, 26,67% e, consequentemente, aumenta o custo médio em 18,95%. Se a empresa ainda não fez o ajuste no frete, esta redução de produtividade é mais um dos ralos da rentabilidade. 


O Setcemg alerta: descubra os ralos da rentabilidade da sua empresa e faça as correções o quanto antes.

 

FELIZ NATAL!

 

Belo Horizonte, 22/12/17

 

 

O Setcemg continua enviando alertas para sobre o tema. 
Clique aqui e confira os artigos anteriores.
 

 


Arquivos


Hist�rico

Semana Nacional de Trânsito (SNT) acontece em todo o país

Enviado em: 24 de setembro de 2018

Notícias

Sest Senat: 25 anos transformando vidas

Enviado em: 21 de setembro de 2018

Notícias

Participe das próximas Capacitações do Setcemg

Enviado em: 21 de setembro de 2018

Notícias

Maiores montadoras do mundo dão a largada para o IAA 2018

Enviado em: 19 de setembro de 2018

Notícias

17 de setembro - Dia do Transportador

Enviado em: 17 de setembro de 2018

Notícias

Sindicato das Empresas de Transportes de Carga do Estado de Minas Gerais

Av. Antônio Abrahão Caram, 728 | Bairro Pampulha
Belo Horizonte - MG | Cep: 31275-000

Telefone: (31) 3490-0330

© 2015 SETCEMG Todos os direitos reservados